Serviços

Design Gráfico

Sem nos apercebermos, o design envolve-se no nosso dia a dia, aplicado nos mais variados elementos como uma cadeira, caneta, um semáforo de rua ou um simples bloco de notas. O bom design, deve observar a ligação natural entre a forma, função e a experiência positiva que o utilizador retira (quase sempre inconsciente) do objeto.

O Design  Gráfico aplicado à identidade de uma empresa ou marca, é o primeiro responsável pelas sensações de admiração, repulsa ou (por vezes também) indiferença. É fundamental portanto tomarem-se as decisões certas quanto ao grafismo aplicado nos vários elementos do nosso negócio, por forma a comunicá-lo correta e afirmativamente ao mercado.

Principais áreas de atuação no design gráfico
  • Criação de logótipo / logomarca
  • Estacionário (cartas, envelopes, cartões de visita e outros relacionados)
  • Kit e manual de normas gráficas
  • Packaging
  • Catálogos, brochuras, flyers, anúncios, entre outros.

Design Editorial

O Design Editorial é uma especialidade do Design Gráfico que realiza todo o projeto gráfico de editoração. Ele está diretamente ligado ao jornalismo. Por esse motivo, o design designer gráfico (seja o diagramador, ilustrador, editor de arte etc) está sempre em parceria com o jornalista. Refere-se ao projeto visual e funcional de um produto, revistas, jornais ou livros, adaptando às necessidades de seus usuários e cativando o seu uso através da estética. Essa área abrange tanto a produção editorial impressa quanto a digital.

 

Livros, Revistas e Jornais

O design de livros é uma das formas mais antigas do Design Editorial, considerada uma das áreas definidoras do design gráfico e talvez a base para a estruturação básica de publicações em geral. Já o design de revistas têm sido uma das áreas mais influentes do design gráfico contemporâneo. No design de jornais, a diagramação segue os objetivos e as linhas gráficas e editoriais deste impresso, que incluem a hierarquização das matérias pela ordem de importância. Nos três casos, deve-se elaborar um projeto coerente, que forneça soluções eficientes e eficazes em usabilidade, desempenho e comunicação, focadas na necessidade do público alvo. Não é um trabalho apenas criativo, mas também de muito planejamento. Portanto, além do uso de softwares, existem alguns métodos de planejamento e pesquisa que se deve conhecer.

 

Tipografia – Uma importante aliada no Design Editorial

A  tipografia é a arte e o processo de criação na composição de um texto, física ou digitalmente. Assim como no design gráfico em geral, o objetivo principal da tipografia é dar ordem estrutural e forma à comunicação impressa. Ela está diretamente ligada a característica visual de um projeto gráfico. Nas revistas, a composição das letras é responsável por chamar atenção do leitor e prendê-lo a matéria.

A tipografia tem papel fundamental na hierarquização dos elementos de uma página. Títulos, subtítulos, assinaturas, capítulos, textos, quadros, legendas, tabelas, rodapés e créditos precisam ser mostrados ao leitor de uma forma que ele entenda, sem grandes esforços, a função e importância de cada um. Mas a tipografia vai muito além, ela também é usada para contar histórias de uma maneira mais visual.

Nos anos 90, as mídias digitais, com os primeiros softwares de editoração eletrônica, deram nova abertura ao typedesigners, que puderam criar trabalhos mais autorais.

Ilustração

Ilustração é a acção e o efeito de ilustrar (desenhar, adornar). O termo permite fazer referência ao desenho, à estampa ou à gravação que adorna, documenta ou decora um livro.

O verbo ilustrar também pode ser usado como sinónimo de proporcionar mais clareza ao entendimento: “Graças ao doutor, vamos ilustrar sobre epidemiologia”, “Vou ilustrar-vos sobre o assunto através desta conferência”.

Esta acepção do conceito está relacionada com a Ilustração enquanto movimento filosófico que surgiu no século XVIII e que se caracterizou por destacar o predomínio da razão. Ilustração é o nome que recebem este movimento e a época na qual se desenvolveu.
Os pensadores da Ilustração acreditavam que, através da razão humana, era possível lutar contra a ignorância e a superstição. A razão também ajudaria a acabar com as tiranias e a construir um mundo melhor.

Fotografia

Necessita de imagens para colocar no seu website ou para divulgar os seus serviços e produtos em formato de papel? É importante ter em mente que uma boa fotografia cria um impacto totalmente diferente num site, revelando brio, profissionalismo e bom gosto. Desta forma, disponho de um serviço profissional de sessões fotográficas – a produtos, instalações e pessoas.

O serviço de Fotografia consiste nos seguintes passos:
– Planear a sessão fotográfica;
– Deslocação ao local;
– Possibilidade de utilização de mesa fotográfica para um aspecto mais clean e holofotes para uma luminosidade controlada;
– Melhoramento digital das fotos – remover elementos que estejam a mais e melhorar cores.
– Acredito que o serviço de fotografia é uma forma de mostrarmos que uma boa fotografia vale mais que mil palavras, pois esta representa e mostra o que os nossos clientes têm de melhor para oferecer, tanto a nível de produtos como de instalações.

Animação 2D/3D

Motion graphics 2D combinam animações e efeitos sonoros para atender aos vários estilos de vídeos e transmitir ideias que um vídeo filmado não conseguiria de forma eficiente.  Através de animação em motion graphics 2D, crio conteúdos visuais poderosos que informam, inspiram e chamam atenção.

A animação computacional 3D é, antes de mais nada, o sucessor digital da animação por stop motion; a figura animada é modelada no monitor e “vestida” com um esqueleto virtual. Então os membros, olhos, bocas, roupas, etc., da figura 3D são movimentadas pelo animador. Finalmente, a animação é renderizada.

Websites Responsivos e Funcionais

Desenvolvo sites baseados na plataforma WordPress que é um sistema no conceito de CMS – Content Management System – o que significa que foi concebido para que o gerenciamento do conteúdo, seja ele texto, imagem ou vídeo, seja feito por usuários sem conhecimento técnico de linguagem de programação.
Por este motivo, são perfeitos para que os meus clientes tenham autonomia e agilidade na atualização dos conteúdos do site, atendendo ao dinamismo exigido atualmente no mundo digital. Esta mesma autonomia reduz custos, pois a maioria das atualizações e até alterações de navegação e diagramação podem ser feitos pelo próprio cliente, sem a interferência de um webdesigner ou programador.
Por ser uma plataforma bastante madura, são soluções robustas, com diversos recursos avançados, além de um amplo leque de módulos e plugins que incorporam funcionalidades adicionais aos sites. Além disso, estão em constante evolução, acompanhando as atualizações dos principais browsers de internet, sistemas operacionais e técnicas de programação web.

 

SEO – SEARCH ENGINE OPTIMIZATION

Os sistemas de publicação adotam as principais práticas para SEO e estão totalmente preparados para serem gerenciados de forma a facilitar a busca dos sites por buscadores como o Google, Bing e Yahoo.

Dentre os principais aspectos do SEO podemos destacar o suporte para:

  • URLs amigáveis
  • Meta titles
  • Meta descriptions
  • Sitemap
  • Alternate text
  • Robots.txt

 

ALOJAMENTO WEB

Trabalho com o cPanel que é o painel de controlo para contas de alojamento (Hosting Control Panel) mais seguro, rápido e eficiente do mercado com uma interface web based que lhe permite gerir a sua conta de alojamento. Com o cPanel poderá efectuar pequenas alterações nas suas páginas utilizando o gestor de ficheiros, fazer upload de arquivos e até mesmo instalar pequenos scripts na sua conta de alojamento.

A ideia do cPanel é tornar os pequenos processos simples, que de outra forma seriam complicados para o utilizador normal.

Entre as funcionalidade do cPanel podemos encontrar o gestor de ficheiros, FTP, Backups, gestão de e-mails (criar contas de e-mail, filtros anti-spam, auto-responders, redireccionamento de e-mails, mailing-lists), gestão de domínios e sub-domínios, controlo de páginas de erros, protecção de pastas por password, MIME Types, Apache handlers, CGI Scripts, informações estatísticas, gestão de utilizadores, cron. jobs, Hotlink protector, Ferramentas de Redes e ainda gestão e administração de bases de dados.

Com o cPanel pode ainda alojar vários domínios numa única conta, utilizando as várias opções disponíveis: Domínios Adicionais, Sub-domínios e Domínios estacionados/parqueados. Tornando-se desta forma muito mais fácil gerir os seus sites e contas de e-mail.

Ações em Marketing Digital

Podemos começar com a criação de uma página na Web, uma fanpage no Facebook, um perfil no Twitter ou no Linkedin e por aí vai. O passo seguinte é a busca pelo aumento de tráfego no seu site, seja pela implementação de estratégias de SEO (Search Engine Optimization – Otimização de Sites nos Mecanismos de Busca) ou através de Links pagos no Google Adwords ou no Facebook Ads. A conversão desse visitante em uma pessoa interessada (Lead) se dá quando é capturado algum ponto de contato com esse cliente. Quando o cliente deliberadamente dá informações pessoais que pode começar apenas um por um e-mail a partir da assinatura de uma newsletter ou do seu blog (iscas digitais). Durante esse processo diversas outras informações do comportamento podem ser capturadas tais como qual a palavra de busca que ele utilizou para chegar à sua página, que página ele acessou primeiro, onde ele clicou, entre muitas outras. Tudo isso pode ser utilizado posteriormente para facilitar você a ser achado e ganhar a confiança desse futuro cliente. A partir de todos esses dados podemos calcular de forma bastante efetiva a taxa de retorno do investimento em marketing (ROI), já que todo o processo pode ser auditado a partir de relatórios bem detalhados e precisos – quantas visitas em geral, quantas visitas se transformaram em Leads, quantas Leads viraram clientes, qual o valor investido, qual o valor por aquisição de um cliente, por um clique no link do site de busca do Google, etc.

 

5 Ações de marketing digital simples, mas importantes
1 – Ser minimalista ao máximo

Se esteve atento às mudanças que ocorreram nos últimos anos, provavelmente já reparou que a tendência é para tornar as interfaces cada vez mais simples e intuitivas. Minimalismo é um conceito a ter em conta, especialmente quando nos entusiasmamos com um projeto e queremos incluir tudo e mais alguma coisa. Se tiver dúvidas, use as grandes marcas como referência e verifique como gigantes como a Apple e Google têm apostado num design clean, capaz de refletir a identidade da marca. Parece simples, mas nem sempre é fácil.

2 – As pessoas não lêem: passam os olhos

A forma como as pessoas consomem informação tem vindo a mudar ao longo dos anos. Com o aparecimento da Internet e a multiplicação dos conteúdos disponíveis, há a tendência para que as pessoas se tornem muito selectivas naquilo que lêem. Primeiro é preciso convencê-los de que o conteúdo vale a pena e depois dar uma resposta clara. Uma vez dentro do conteúdo, as pessoas tendem a fazer um scroll rápido em busca daquilo que realmente procuram.

3 – Destacar aquilo que realmente importa

Um design apelativo é fundamental para cativar a atenção do internauta, mas não basta. Na altura de escrever o textos, garanta que a informação está facilmente acessível e que os dados mais importantes se destacam de tudo o resto. Uma técnica simples é usar negritos, colocar links e apostar em imagens. Os textos não devem ser demasiado longos, deve utilizar subtítulos e, acima de tudo, não se ponha com rodeios. Se preferir, pode também usar sumários.

4 – Usar a audiência para espalhar a sua mensagem

Uma das vantagens que não devemos deixar passar ao lado é o facto de que, a cada minuto, milhões de publicações são partilhadas, “gostadas” e comentadas nas redes sociais. A própria audiência assume-se como um mensageiro, interessada em partilhar artigos que sejam engraçados ou que lancem sérios debates entre os seus contactos. Basicamente, toda esta interatividade acontece quando o público se sente emocionalmente próximo do conteúdo.

Ora, o conteúdo tem de ser excitante e tem de se destacar entre as dezenas de publicações que lutam pela atenção dos utilizadores das redes sociais. Seja direto e claro nos títulos, crie relevância nas descrições e garanta uma partilha dos seus conteúdos antes mesmo que um utilizador abra o link para ver se o conteúdo corresponde de facto àquilo que propõe.

5 – Contar uma história

Experimente, da próxima vez que elaborar um artigo, focar-se na sua história em vez de dar atenção a um produto, funcionalidade e características associadas a tal item. As pessoas são ávidos por conhecimento e por novas histórias. Crie uma que faça eco, que consiga a interação do público e apele às emoções da audiência. Pegue num caderno e comece a delinear a mensagem que quer fazer chegar à audiência e a história que quer usar para que isso aconteça. Depois é só deixar o processo fluir naturalmente.